Sites Grátis no Comunidades.net

Feira de Filmes Alternativos e Raros



Total de visitas: 48566
ARTE

Cinema Arte:

“100 escovadas antes de dormir” de Luca Guadagnino

Baseado no sensacional campeão de vendas internacional One Hundred Strokes of the Brush Before Bed, 100 Escovadas Antes de Dormir é um excitante conto de emoções e sexualidade. Sozinha, negligenciada por seus pais e sentindo muito a morte de sua querida avó (Geraldine Chaplin de Fale Com Ela), Melissa de apenas 14 anos de idade (Maria Valverde) se entrega ao sexo como válvula de escape. Ao se envolver em situações sexuais arriscadas, as quais ela detalhadamente descreve em seu diário, essa Lolita dos dias atuais rapidamente se torna uma atrevida sedutora. Com erotismo e sedução, 100 Escovadas Antes de Dormir é uma visão perturbadora sobre como a vida secreta de uma adolescente pode provocar os desejos humanos além dos limites.




“2001: Uma Odisséia no Espaço” de Stanley Kubrick

Desde a "Aurora do Homem" (a pré-história), um misterioso monolito negro parece emitir sinais de outra civilização interferindo no nosso planeta. Quatro milhões de anos depois, no século XXI, uma equipe de astronautas liderados pelo experiente David Bowman (Keir Dullea) e Frank Poole (Gary Lockwood) é enviada à Júpiter para investigar o enigmático monolito na nave Discovery, totalmente controlada pelo computador HAL 9000. Entretanto, no meio da viagem HAL entra em pane e tenta assumir o controle da nave, eliminando um a um os tripulantes.




“Accattone: desajuste social” de Pier Paolo Passolini

Desajuste Social é a impactante obra de estréia do genial Pier Paolo Pasolini na direção, que teve Bernardo Bertolucci como assistente. Ao som da musica sublime de Bach Pasolini nos apresenta a miserável periferia de Roma, onde vive Vittorio, mais conhecido como Accattone, um jovem cafetão que explora a prostituta Maddalena. Quando ela é presa, ele fica sem rumo até se apaixonar pela ingênua Stella, que tenta fazê-lo mudar de vida. Mais de 40 anos depois de sua estréia, Desajuste Social continua a ser um filme muito atual. Um registro poético e realista da sociedade italiana que só Pasolini conseguia fazer. Simplesmente essencial.

“Aguirre - A Cólera dos Deuses” de Werner Herzog

Em meados do século XVI, o conquistador espanhol Gonzalo Pizarro lidera uma expedição ao Peru, em busca de Eldorado, a mítica cidade do ouro. Um dos seus homens, Dom Lope de Aguirre, consumido pela loucura, sonha em conquistar toda a América do Sul.
Com participação do cineasta brasileiro Ruy Guerra no elenco, Aguirre, a Cólera dos Deuses é uma jornada fascinante no coração das trevas do ser humano. Essencial em qualquer coleção de cinema.


“Alemanha Ano Zero” de Roberto Rosselini

Alemanha, Ano Zero é uma das obras máximas do mestre Roberto Rossellini e do Neo-realismo italiano. Um drama impactante com um dos finais mais célebres da história do cinema. Na cidade de Berlim em ruínas, logo após o final da Segunda Guerra, Edmund, um garoto muito pobre, trabalha para sustentar o pai doente e os irmãos mais novos. Um dia, ao encontrar um antigo professor, comenta da situação do pai e entende ter recebido um conselho para matá-lo. Alemanha, Ano Zero é a última parte da chamada "trilogia da guerra", formada ainda por Roma, Cidade Aberta e Paisà.



“Alphaville” de Jean-Luc Godard

A população da cidade futurista de Alphaville é dominada pelo computador Alpha 60 que aboliu os sentimentos. O agente Lemmy Caution é enviado à cidade com a missão de encontrar seu inventor, o Professor Von Braun, e convencê-lo a destruir a máquina.




"Amadeus" de Milos Forman DVD Duplo


"Amadeus" é a longamente aguardada versão em filme, da obra teatral de sucesso mundial, de Peter Shaffer, sobre a vida e sobre a música de Wolfgang Amadeus Mozart. "Amadeus" foi adaptado para as telas pelo próprio autor Peter Shaffer. Nos papéis principais, F. Murray Abraham (Melhor Ator), interpreta Salieri, um ciumento e invejoso compositor do século 18; Tom Hulce é Mozart, a infeliz vítima do seu veneno.Após tentar se suicidar, Salieri confessa a um padre que foi o responsável pela morte de Mozart e relata como conheceu, conviveu e passou a odiar Mozart, que era um jovem irreverente mas compunha como se sua música tivesse sido abençoada por Deus.


“Amarcord” de Frederico Fellini

Amarcod é uma história fascinante e dramática, as vezes humorística, sobre a vida de um homem que em pleno ano 2000, descobre que todo o mundo a sua volta parece estranho. Despreparado e surpreso, ele sai numa busca febril por algumas coisas que o faça retornar a realidade, antes que seja tragado pela loucura. E assim, envolve-se em inúmeras situações do cotidiano, levando-nos a pensar na própria vida que levamos. Esta é a intenção de Fellini (8 1/2, A Doce Vida e Cidade das Mulheres), que trabalha todas as recordações da adolecência, como a escola, as descobertas do sexo e do mundo. Amarcord é uma obra-prima impressionante e inesquecível.



"Amelie Poulain" de Jean-Pierre Jeunet

Amélie (Audrey Tautou) vive em Paris, em seu mundinho particular. Trabalha como garçonete em um pequeno café e mora em um apartamento alugado onde vive suas fantasias.
Porém, sua vida sofre uma tranformação radical no dia em que descobre, em seu apartamento, uma antiga caixa cheia de objetos infantis. Empolgada, assume a missão de encontrar seu dono e essa jornada irá conduzi-la a um mundo totalmente novo,excitante, cheio de aventuras e esperança.


NOVO “Antes da Chuva” de Milcho Manchevski


Tendo como pano de fundo as turbulências políticas da Macedônia e a cidade de Londres , três histórias de amor se interligam. O filme focaliza a hsitória de Kiril, jovem monge que vive num monastério medieval na Macedônia. Sua rotina é quebrada com a chegada de Zamira, uma menina albanesa perseguida por um grupo armado da região. Kiril a esconde e acaba expulso do monastério. Longe dalí, em Londres, o premiado fotógrafo Aleksander questiona seus relacionamentos e decide partir. Depois de reportar a miséria humana de vários países, volta para a Macedônia, o seu país. Lá ele presencia a intolerânca, uma guerra fratricida e cruza o caminho de Kiril e Zamira.


“Antes da revolução” de Bernardo Bertolucci

Antes da Revolução é um filme emblemático sobre a juventude revolucionária dos anos 60 e a primeira obra-prima do mestre Bernardo Bertolucci (Os Sonhadores). Parma, 1964. Fabrizio, um jovem de 22 anos, passa por uma fase de indecisão política e afetiva. Apesar de renegar a burguesia, não se sente à vontade no movimento revolucionário, pois se considera à frente das ideologias da esquerda. Ao mesmo tempo, vive um amor conturbado com sua tia.

"Apocalypse Now" de Francis Ford Coppola

Nova versão do clássico de 1979 lanaçada em 2001, com cinqüenta minutos a mais de filme. A história é sobre uma missão que o Capitão Willard (Martin Sheen) recebe: matar um insano desertor, o Coronel Kurtz (Marlon Brando), que preparou uma tropa para atacar os próprios americanos. Obra-prima de Francis Ford Copolla, o mesmo diretor da trilogia Poderoso Chefão, elevando a guerra ao máximo do teor psicológico possível sem perder o charme de um bom tiroteio.



"Ata-Me!" de Pedro Almodóvar

O jovem Rickyé órfão desde os três anos de idade e, por isso, passou a vida toda em instituições de caridade e reformatórios. Em uma de suas fugas, transa com Marina (, uma atriz pornô envolvida com drogas. Fascinado pela moça, Ricky a seqüestra depois de receber alta do hospital psiquiátrico. Ele a amarra na cama e só irá soltá-la quando aprender a amá-lo.



NOVO"O Baile" de Ettore Scola

Filme musical que conta a história do século XX da França. Através da memória dos "bailarinos" conhecemos a história da França dos anos 30 aos anos 80: à classe trabalhadora; o período de ocupação nazista, durante a 2ª Guerra Mundial; a libertação da França pelas forças dos aliados; a musicalidade de Glenn Miller; a chegada do rock'n'roll, a invasão dos estudantes radicais no abandonado salão de baile.

“Baraka” de Ron Fricke

Um filme documentário experimental, dirigido pelo mesmo cinematografista de Koyaanisqatsi, o primeiro da trilogia Qatsi, de Godfrey Reggio. Frequentemente comparado a Koyaanisqatsi, o assunto principal de Baraka é, de fato, similar, incluindo filmagens de várias paisagens, igrejas, ruínas, cerimônias religiosas e cidades, misturando com vida, numa busca para que cada quadro consiga capturar a grande pulsação da humanidade nas atividades diárias. Foi filmando em 70mm colorido, em 23 países: Argentina, Brasil, Camboja, China, Equador, Egito, França, Hong Kong, Índia, Indonésia, Irã, Israel, Itália, Japão, Quênia, Kuweit, Nepal, Polônia, Arábia Saudita, Tanzânia, Tailândia, Turquia e EUA. Ele não contem diálogos ou cenas coesas, mas apenas imagens e som ambiente, conversas ou cantos, que podem ser considerados o narrador latente de uma intenção universal espiritual.


"As Bicicletas de Beleville" de Sylvain Chomet

Madame Souza é uma velhinha portuguesa cujas ânsias estão dirigidas única e exclusivamente a seu neto, a princípio um garoto rechonchudo e melancólico. Primeiramente, ela lhe compra um cachorro, que acaba por preencher o vazio na vida do menino – o animal, porém, é logo esquecido, sendo substituído por uma bicicleta. A partir de então, o rapaz cresce e torna-se aficionado por ciclismo, uma paixão amplamente apoiada – e estimulada – por Madame Souza. Quando surgem notícias de que haverá um campeonato de ciclismo, o jovem não pensa duas vezes: logo começa a se preparar. Porém, é lá, no circuito tão esperado, que a confusão tem início, ao ter seu neto seqüestrado. Madame Souza parte em uma aventura bastante surreal cheia de referências ao nosso mundo, referências a outras obras cinematográficas e muita crítica ao modo de vida atual.

“Brancaleone nas Cruzadas” de Mario Monicelli

O aventureiro Brancaleone (Vittorio Gassman) e seu exército de trapalhões parte para um outro desafio - a conquista do Sepulcro Sagrado, porém todo seu exército é massacrado em um combate. Depois, em seu caminho, se unem a ele um anão, uma bruxa maluca e um masoquista que chora copiosamente quando Brancaleone o chuta. Em sua cruzada, nosso destemido cavaleiro acaba se envolvendo em um conflito entre dois rivais, o Papa Clemente e o Papa Gregório. Muita ação, humor e aventura com Brancaleone, um herói debochado, irreverente e muito engraçado.


“Buñuel: O cão andaluz e a idade do ouro” de Luis Buñuel

UM CÃO ANDALUZ: com roteiro co-escrito por Salvador Dalí, Luis Buñuel estreou como diretor e ator neste curta-metragem, o marco inicial do surrealismo no cinema. À luz da psicanálise, Buñuel e Dalí exploram o inconsciente humano, numa seqüência de cenas oníricas, incluindo o célebre momento em que um homem corta, com uma navalha, o olho de uma mulher.

A IDADE DO OURO: em pouco mais de uma hora, Buñuel e Dalí criam imagens surrealistas que visam libertar o homem das amarras impostas pelo moralismo da sociedade e suas instituições. Um sonho polêmico que chegou a ser proibida em diversos países na época de seu lançamento. No elenco, destaque para o artista plástico Max Ernst.

NOVO"Câmera Olho - Réquiem a Lênin" de Dziga Vertov
Este filme é considerado o "magnum-opus" de Dziga Vertov. O ponto mais alto de sua carreira, dominando absolutamente a imagem e o som. Cineasta favorito de Lênin, Vertov foi o símbolo da revolução, o traço de união entre o partido e a classe operária. A grande maioria das imagens que vemos hoje em dia de Lênin saiu das lentes visionárias de Vertov. Réquim a Lênin (Tri Penis o Lenin) descreve o líder soviético visto pela tradição popular, que nas palavras de Vertov, seria uma tentativa de cristalizar os pensamentos do povo sobre Lênin. Fez grande sucesso na União Soviética e em vários países da Europa. Nas palavras do cineasta este filme é "uma grande orquestra sinfônica do pensamento".



NOVO“O Caminho para Casa” de Zhang Yimou

O caminho para casa é um filme lírico, que fala sobre amor e tradições no país mais populoso do mundo. Quando o pai morre, Luo Changyu retorna à cidade de infância, onde seu pai era um adorado professor. Mas a curta viagem para o enterro torna-se maior quando ele descobre que a mãe quer uma cerimônia tradicional para seu amado marido. Ela deseja que o cortejo seja a pé, honrando a crença de que um corpo que refaz seus passos nunca esquece o caminho para casa. Com Changyn selecionando as pessoas que vão levar o corpo, a história do amor de seus pais é revelada.

“Cidadão Kane” de Orson Welles

Aos 26 anos, precocemente, ORSON WELLES já demonstrava toda a sua genialidade neste grandioso filme que influenciou toda a história do Cinema. O filme retrata a ascensão de um mito da imprensa americana, de garoto pobre no interior a magnata de um império dos meios de comunicação. Inspirado na vida do milionário William Randolph Hearst.






“O Círculo” de Jafar Panahi

Três mulheres acabam de receber indultos temporários para deixar a prisão. As perspectivas, porém, são as piores. Além de terem sido condenadas, elas são mulheres e vivem em uma sociedade islâmica. Mesmo em liberdade elas se sentem em uma grande prisão, com os direitos reduzidos e cerceados pelos homens. "Isso não vale apenas para um tipo de mulher, mas para todas. Como se cada mulher pudesse substituir a outra, em um círculo que as torna iguais", ressalta o diretor Jafar Panahi. Carregado de intensidade dramática, O Círculo humaniza a trajetória de três mulheres com desejos e anseios diferentes, mas igualmente vítimas de cotidianas formas de repressão.


“Corra Lola, Corra” de Tom Tykwer

CORRA LOLA, CORRA é a elogiada sensação internacional sobre dois amantes pouco convencionais que tem apenas alguns minutos para mudar o curso de suas vidas. O tempo esta passando para Lola (Franke Potente). Ela acabou de receber um frenético telefonema do namorado, Manni (Morits Bleibtreu), que perdeu uma pequena fortuna de seu chefe mafioso. Se Lola não repuser o dinheiro em vinte minutos, Manni vai certamente sofrer as dolorosas conseqüências.









NOVO“Control” de Anton Corbjin


Com diálogos mínimos e trilha sonora no máximo, o filme em preto e branco Control narra a curta vida de Ian Curtis, enquanto ele se equilibrava entre a banda britânica Joy Division, sua mulher Debbie e sua amante Annick.




“Dr. Fantástico” de Stanley Kubrick

A celebrada e clássica comédia de humor negro de Stanley Kubrick sobre um ataque nuclear "acidental" . Criado durante um tempo em que a paranóia da Guerra Fria estava em seu auge, o filme ainda se mostra atual em nossos dias. Convencido de que os comunistas estão poluindo "os preciosos fluidos corporais" da América, um general enlouquecido (Sterling Hayden)ordena um ataque nuclear a União Soviética. Seu ajudante, Capitão Mandrake (Peter Sellers), desesperadamente procura uma maneira de suspender o ataque. Enquanto isso, o presidente dos EUA (Sellers mais uma vez) pega o telefone de emergência para convencer o bêbado premiêr soviético que impedir o ataque é um erro tolo, enquanto o conselheiro do presidente (e ex-cientista nazista) DR. FANTÁSTICO (Sellers outra vez) confirma a existência da temida Máquina do Juízo Final - um secreto dispositivo soviético de retaliação que garante acabar com a raça humana de uma vez por todas!


NOVO “Dersu Uzala” de Akira Kurosawa


Dersu Uzala é um camponês mongol que serve de guia para um militar russo, líder de uma expedição de levantamento topográfico na Sibéria.
Dersu é um exemplo de humildade e sabedoria, e o filme mostra de maneira poética e sensível as diferenças culturais entre ele e o pesquisador russo. O diretor de fotografia aproveitou o máximo as belas paisagens naturais da Sibéria e registrou em belas imagens.


NOVO"Decameron" de Pier Paolo Pasolini

Baseado nos eternos clássicos de Boccaccio Decameron narra a história de freiras devassas que realizam "milagres" sexuais, uma esposa traiçoeira com habilidade para negócios, um artista tuberculoso à beira da morte que tenta trapacear com o Céu, jovens amantes apanhados com as calças na mão, um criado que perde a cabeça por amor e um simplório fazendeiro que tenta transformar sua esposa numa égua.
NOVO"A Doce Vida" de Frederico Fellini

A Doce Vida é a grande obra-prima do mestre Federico Fellini e também um dos maiores filmes da história do cinema. Roma, início dos anos 60. O jornalista Marcello (Marcello Mastroianni em desempenho memorável) vive entre as celebridades, ricos e fotógrafos que lotam a badalada Via Veneto. Neste mundo marcado pelas aparências e por um vazio existencial, freqüenta festas, conhece os tipos mais extravagantes e descobre um novo sentido para a vida.

"Elefante" de Gus Van Sant

Elefante nos leva para dentro de uma escola secundarista Americana em um dia comum, que rapidamente se torna trágico. A história se desdobra, cheia de tarefas em classe, futebol, fofocas e socialização. Observa as idas e vindas de seus personagens a uma distância segura, nos permitindo vê-los como eles são. Com cada estudante vemos a escola através de uma experiência diferente, uma nova lente. Estas experiências mudam de amigáveis e inocentes a traumáticas e muito perturbadoras. Elefante demonstra que a vida nas escolas é uma complexa paisagem onde a vitalidade e a beleza de vidas jovens pode mudar da luz para a escuridão com velocidade surreal. É um dia comum em uma escola secundarista. Com exceção de que não é.




“Em Busca do Cálice Sagrado” de Monty Python

Aqui está a versão Monty Python sobre o conto do bom Rei Arthur (Graham Chapman) e seus cavaleiros em busca do Cálice Sagrado. Veja-os enfrentarem acontecimentos bizarros e beberrões imbecis, travarem uma sangrenta batalha contra o bárbaro Coelho Assassino ("Fuja! Fuja!") e (Oh, que horror!) confrontarem os temidos Cavaleiros Que Dizem "Ni!". Oh, estas podem ser épocas de tentativas. Será que esses bons cavaleiros podem passar no teste de valor e cortar a árvore com arenque? Ou eles irão explodir em mil pedaços com a Granada de Mão Sagrada? Coragem, Lancelot! Adiante, Galahad! Uma comédia histórica e histérica de Terry Gilliam e Terry Jones.

"O Encouraçado Potemkin" de Sergei Eisenstein

Se os americanos celebram por terem Cidadão Kane o maior filme de todos os tempos, os russos também encabeçam esta lista com a grande obra-prima O Encouraçado Potemkin. Para quem quiser compreender o cinema atual, do roteiro a montagem, assistir Potemkin é obrigatório. Repleto de poderosas imagens e uma montagem muito avançada para a época. A seqüência da Escadaria de Odessa, em que as tropas do Czar massacram homens, mulheres e crianças, é a mais famosa e imitada da história do cinema. Em seu segundo longa-metragem, Eisenstein já era tido como um grande e revolucionário cineasta.



"Eu, Um negro" & "Os mestres loucos" de Jean Rouch

O cineasta e entnólgo Jean Rouch fez quase todos os seus 120 filmes na África, aonde chegou aos 24 anos como engenheiro de estradas. Rouch põe em xeque as noções de ficção e realidade. Sobre Eu, um Negro, rodado na Costa do Marfim, ele diria: Sabia que iríamos mais fundo na verdade se, em vez de termos atores, as pessoas interpretassem a própria vida. O filme segue um grupo de amigos que vive de biscates. Aceitando a proposta de Rouch, cada um imaginou ser um personagem, inventou uma história, encenou-a pela cidade e depois, assistindo às cenas captadas (sem som), recriou as falas que havia improvisado. O tempo não desfez em nada a força desse filme. Tampouco amenizou o impacto de Os Mestres Loucos, rodado em Gana. Num cruzamento desconcertante de religião, história e individualidade psíquica, o filme mostra uma seita cujos membros, em transe, personificam figuras do colonialismo inglês. No auge do ritual de possessão um animal é sacrificado e comido pelos "mestres loucos" - trabalhadores imigrantes que logo retomarão seu cotidiano sem mistério.

"Fale com ela" de Pedro Almodóvar

Benigno e Marco são dois desconhecidos que acabam virando amigos em decorrência do destino. Enquanto esperam com toda a esperança possível as mulheres por quem são apaixonados, – Alicia e Lydia –, saírem do estado de coma do hospital, acabam tendo uma afinidade muito grande. Benigno possui uma espécie de amor platônico por Alicia, pois apaixonou-se sem ter tido tempo de ser correspondido, antes do acidente dela. Marco, em contrapartida, após o acidente, não consegue definir muito bem seus sentimentos com relação a Lydia, e tem dificuldades de lidar com ela na cama do hospital. Ambos só podem fazer uma coisa enquanto esperam: falar com elas.





“Feios, Sujos e Malvados” de Ettore Scola

Giacinto (Nino Manfredi em grande atuação) mora com a esposa, os dez filhos e vários parentes, num barraco de uma favela de Roma. Todos querem roubar o dinheiro que ele ganhou do seguro, por ter perdido um olho quando trabalhava. A situação fica ainda pior quando ele decide levar uma amante para dentro de casa. Feios, Sujos e Malvados é uma comédia social corrosiva, em que Scola dialoga, de maneira brilhante, com Accattone - Desajuste Social, de Pasolini.



“Fitzcarraldo” de Werner Herzog

A monumental obra-prima de Werner Herzog. No final do século XIX, no apogeu do ciclo da borracha, o aventureiro Brian Sweeney Fitzgerald sonha em construir um teatro de ópera na Amazônia peruana. Para realizar seu sonho, faz com que centenas de índios arrastem um barco a vapor de 160 toneladas pelo coração da selva amazônica. Uma empreitada incrível em busca do impossível... Vencedor de vários prêmios, Fitzcarraldo conta ainda com grandes interpretações de Klaus Kinski e Claudia Cardinale, e participações especiais dos brasileiros José Lewgoy, Milton Nascimento e Grande Otelo. Um espetáculo grandioso dirigido com mestria pelo visionário Herzog. "A Fraternidade é Vermelha" de Krzysztof Kieslowski

Valentine é uma jovem modelo que vive em Genebra. Certo dia, atropela uma cachorrinha e, preocupada, sai em busca de seu dono. Assim, conhece o homem que mudará a sua vida: um juiz aposentado que passa os dias espionando as conversas telefônicas de seus vizinhos. É o início de uma história de redenção, compaixão e perda sobre a comunicação entre os homens.
NOVO"Fellini 8 1/2" de Federico Fellini

A maior das obras-primas de Fellini conta a história de Guido (Marcello Mastroianni), um cineasta em crise de inspiração, que não consegue encontrar a idéia para seu próximo filme. Durante uma temporada de férias, é assombrado por sonhos e recordações de passagens marcantes de sua vida.

“O Grande Ditador “ de Charles Chaplin DVD Duplo

Um dos maiores clássicos da história do cinema, o filme de Chaplin foi feito em plena Segunda Guerra Mundial com seu próprio dinheiro, já que ninguém queria financiar seu projeto. Neste filme, Chaplin faz o papel do barbeiro judeu que é perseguido pelo exército nazista, e faz também o papel do grande ditador Adenoid Hynkel. Um sátira inteligente ao governo nazista de Adolf Hitler.




"A Igualdade é Branca " de Krzysztof Kieslowski

O polonês Karol casa-se com a francesa Dominique e muda-se para Paris. O casamento não dá certo e Dominique pede o divórcio. Karol passa a viver como mendigo na capital francesa. Após muitos contratempos, ele volta para Varsóvia, onde consegue enriquecer. Ainda apaixonado, Karol trama uma inusitada vingança contra a ex-esposa.

"O Iluminado" de Stanley Kubrick


Do roteiro que ele co-adaptou de Stephen King, Kubrick mistura grandes interpretações, cenários ameaçadores, cenas extraídas de um sonho, com sustos constantes, transformando o filme num marco do terror. No papel principal, Jack Nicholson ("Aqui está Johnny") interpreta Jack Torrance, que vai para o elegante e isolado Overlook Hotel com sua esposa (Shelley Duvall) e o filho (Danny Lloyd) para trabalhar como zelador durante o inverno. Torrance jamais havia estado naquele lugar antes. Ou será que havia? A resposta está na fantasmagórica jornada de loucura e assassinato.




“Os Imcompreendidos” de François Truffout

Antoine Doinel é um garoto de 14 anos. Seus pais não lhe dão muita atenção, então ele mata aula para ir ao cinema e sair com seus amigos. Certo dia, ele descobre que sua mãe tem um amante. Este é o primeiro longa de Truffaut, considerado um dos diretores europeus mais importantes de todos os tempos.



"O Incrível Exército de Brancaleone" de Mario Monicelli

Em plena Itália do Século XI, o cavaleiro Brancaleone, uma espécie de Don Quixote maltrapilho, forma um exército de quatro miseráveis mortos de fome e parte em direção a um feudo a que julga ter direito. Durante o longo percurso pela Europa da Idade Média, no lombo de um pangaré chamado "Aquilante" (uma referência ao "Rocinante" de Don Quixote), ele vai se defrontar com a peste negra, bruxas e bárbaros de todas as espécies, numa sátira demolidora dos conceitos de honra e coragem sobre os heróis medievais.






“A Insustentável Leveza do Ser” de Philip Kaufman

Para o jovem cirurgião Tomas (Daniel Day-Lewis), assuntos como a liberdade e a busca da felicidade são problemas dos outros. Em plena Praga de 1968, o galanteador está mesmo concentrado é na felicidade da busca, já que está determinado a levar a vida com uma leveza alheia a quaisquer compromissos ou ideologias políticas. Mas seu plano pode naufragar. Pois afinal, apesar de ser um grande clichê, é verdade que há escolhas que o coração faz sem a ajuda da razão. Com um belíssimo e sensual roteiro inspirado na obra do escritor Milan Kundera, A Insustentável Leveza do Ser é adaptação de um dos mairoes clássicos da literatura mundial. Produzido por Saul Zaentz (O Paciente Inglês e Amadeus) e dirigido por Philip Kaufman (Os Eleitos) o filme traz ainda Juliette Binoche e Lena Olin, em um dos triângulos amorosos mais quentes do cinema. Uma história repleta de mudanças, em que vidas oprimidas são renovadas por um amor intenso.



“Johnny vai á Guerra” de Dalton Trumbo

Primeiro e único filme dirigido pelo escritor e roteirista Dalton Trumbo, uma das grandes vítimas do macarthismo, Johnny Vai à Guerra é um monumento cinematográfico erigido contra todas a guerras: do passado, do presente e do futuro. Afinal, Trumbo criou a figura do soldado sem nome como uma metáfora de todos os homens que perderam a vida na guerra.
Filme poético e chocante, é narrado em dois níveis, com o preto e branco e o colorido separando a vida e a agonia de um soldado reduzido a um torso em combate durante a 1ª Guerra Mundial. Por meio de um monólogo interior, somos testemunhas do que foi a vida do jovem soldado e acompanhamos o que restou do seu corpo numa sala escura de hospital.


“Kika” de Pedro Almodóvar

Kika é uma maquiadora contratada por Nicholas, um escritor norte-americano radicado em Madri, para maquiar o corpo de seu enteado Ramón e deixá-lo apresentável para o velório. Porém, Ramón não está morto, ele sofre de catalepsia, e acaba despertando durante a maquiagem. Como resultado, Ramón e Kika começam um relacionamento. Tudo vai bem para o jovem casal até que Nicholas retorna de uma longa viagem. Primeiro Kika se envolve com o escritor, e depois Andréa Caracortada, uma bizarra apresentadora de um programa sensacionalista da TV, suspeita que Nicholas é um serial killer e passa a espionar a vida de todos em busca de um furo jornalístico. O resultado de tudo isso é muita diversão com o toque dramático, polêmico e surreal no melhor estilo de Almodóvar.

"Kiriku e a Feiticeira " de Michel Ocelot

Kiriku é um garoto pequeno, mas muito inteligente e com dons especiais, que nasceu em uma pequena aldeia sobre a maldição da cruel feiticeira Karaba que secou as fontes de água e seqüestrou todos os homens da região. Encontrando amigos e seres fantásticos pelo caminho, Kiriku resolve combater a malvada feiticeira para salvar sua aldeia. História baseada em uma lenda da África Ocidental.


NOVO "Kirikou 2: os animais selvagens" de Bénédicte Galup e Michel Ocelot

Na África Ocidental, nasce um menino minúsculo, cujo tamanho não alcança nem o joelho de um adulto. Mas ele tem um destino: enfrentar a poderosa e malvada feiticeira Karabá, que secou a fonte d'água da aldeia de Kiriku, engoliu todos os homens que foram enfrentá-la e ainda pegou todo o ouro que tinham. Para isso, Kiriku enfrenta muitos perigos e se aventura por lugares onde somente pessoas pequeninas poderiam entrar.


"La Mala Educación" de Pedro Almodóvar

Quando criança, Ignácio (Gael García Bernal) estudou em um colégio interno católico. Lá ele sofreu abusos sexuais por parte de seu professor de Literatura, o padre Manolo (Daniel Gimenez Cacho), que marcaram sua vida para sempre. Ignácio se apaixona por um colega de colégio, Enrique (Fele Martínez), que termina sendo expulso. Vinte anos mais tarde, os três personagens se reencontram.
Este reencontro marcará não só a vida, mas também a morte de alguns deles.

NOVO “Luzes da Ribalta” de Charles Chaplin

Calvero é um comediante envelhecido que salva a jovem bailarina Terry de uma tentativa de suicídio. É o começo de uma história de amizade e devoção. Emocionante drama, inédito em vídeo, de Charles Chaplin que divide o palco em uma breve, mas inesquecível parceria com seu grande contemporâneo, Buster Keaton.


“Laranja Mecânica” de Stanley Kubrick

Violento, bombástico, arrebatador, sonoro, dançante e assustador. O alucinado Alex (Malcolm McDowell) tem sua própria forma de se divertir. Sempre às custas da tragédia dos outros. A transformação de Alex de um punk sem moral até um cidadão exemplar doutrinado e sua volta ao estado rebelde, compõe a chocante visão do futuro que Stanley Kubrick elaborou a partir do livro de Anthony Burgess. As imagens inesquecíveis, a música arrebatadora, e a linguagem fascinante utilizada por Alex e sua gangue, foram moldadas por Kubrick neste conto sobre os caminhos da moralidade.
"A Liberdade é Azul" de Krzysztof Kieslowski

França, início dos anos 90, às vésperas da Unificação Européia. Julie perde o marido, um famoso compositor, e a filha num trágico acidente de carro. Traumatizada, ela procura se libertar de tudo que lhe lembre o passado e, aos poucos, tenta reencontrar a vontade de viver.


"Luz de Inverno" de Ingmar Bergman

Após ler nos jornais que a China possuí a bomba atômica e pretende usá-la, um pescador vai à igreja, buscando palavras de conforto e consolo do pastor. Porém, este não consegue ajudá-lo porque está passando por uma crise de fé, temendo também o apocalipse nuclear.
Realizado durante a Guerra Fria, Luz de Inverno é uma amarga reflexão de Bergman, que teve como modelo o clássico O Diário de um Pároco de Aldeia (1950), de Robert Bresson. NOVO"O Mamute Siberiano" de Vicente Ferraz

Conta a trágica trajetória do filme russo Soy Cuba (1964), que ficou esquecido por mais de 30 anos, até sua descoberta nos anos 90 pelos cineastas americanos Martin Scorsese e Francis F. Coppola quando se tornou um clássico.
O documentário busca e encontra a memória mais íntima não só dos que participaram da mega-produção do Soy Cuba, mas de quem viveu tempos de intensa esperança e solidariedade, quando gerações acreditavam que podiam alcançar o céu com as mãos.
Desconstruindo Sou Cuba, Vicente Ferraz faz um paralelo com o projeto socialista da Revolução Cubana. O filme reacende a memória dos desencontros, das impossibilidades do possível, dos desatinos do destino.


NOVO"Morangos Silvestres" de Ingmar Bergman
Morangos Silvestres é uma das obras máximas do mestre Ingmar Bergman, sempre nas listas dos melhores da história do cinema.No caminho da Universidade de Lund, onde receberá um prêmio pelos 50 anos de carreira, o professor de medicina Isak Borg (interpretado pelo cineasta Victor Sjöstrom) relembra os principais momentos de sua vida, temendo a morte que se aproxima. Ao lado de Umberto D., de Vittorio de Sica, e Viver, de Akira Kurosawa, Morangos Silvestres é um dos mais belos filmes sobre a velhice e a memória.

“Metropolis” de Fritz Lang

Metropolis se passa em 2026, a população está dividida em duas classes: a elite dominante e a classe operária, que vive num mundo subterrâneo, escravizadas pelas monstruosas máquinas que fazem funcionar a todo vapor a cidade. Uma revolução operária é planejada, mas sempre impedida pela líder Maria. O chefe da cidade pede a um cientista maligno que construa um robô à imagem e semelhança dela, para que possa incitar os trabalhadores à revolta.
“Nascido para matar” de Stanley Kubrick

Um fantástico elenco foi convocado para estrelas a brilhante saga de Stanley Kubrick sobre a Guerra do Vietnã e o processo desumano que transforma homens em assassinos treinados. Joker (Matthew Modine), Animal Mother (Adam Baldwin), Gomer (Vincent D'Onofrio), Eightball (Dorian Harewood), Cowboy (Arliss Howard) e muitos outros são jogados em um campo de treinamento, onde enfrentam D.I. (Lee Ermey), um sargento linha dura que os considera menos que vermes. Com ação de tirar o fôlego, uma história dramática, diálogos cáusticos, humor corrosivo e o treinamento rigoroso ao pesadelo do combate em Hue City, fazem "Nascido Para Matar" um marco do cinema.


“Nós que aqui Estamos, por Vós Esperamos” de Marcelo Masagão

Nós que aqui estamos, por vós esperamos é um filme-memória do século XX, a partir de recortes biográficos de pequenos e grandes personagens que por aqui passaram. 95% das imagens são de arquivo: filmes antigos, fotos e material da TV. Não há locução, nem depoimentos orais. A sonorização é toda música de Wim Mertens, efeitos sonoros e silêncio.
“Nós que nos amávamos tanto” de Ettore Scola

Uma das obras máximas de Ettore Scola (Um Dia Muito Especial).
30 anos na história da Itália (1945-1975) e vida de três grandes amigos Gianni, Antonio e Nicola. Da resistência à ocupação nazista ao engajamento político nos anos 60, acompanhamos as aventuras, desventuras e desilusões amorosas de uma geração que sonhava em mudar o mundo. Com uma linda homenagem a Federico Fellini, Nós que nos Amávamos Tanto tem como destaque ainda as atuações memoráveis de Vittorio Gassman, Nino Manfredi e Stefania Sandrelli. Um filme para ver e rever muitas vezes.

NOVO"Os girassóis da Rússia" de Vittorio De Sica

Este clássico romântico tornou-se um dos maiores sucessos da dupla Sophia Loren e Marcello Mastroianni.
A história de um casal separado pela Segunda Guerra. Após anos sem notícias, ela viaja para a Rússia em busca do marido, atravessando cidades e campos de girassóis. Quando enfim ela o encontra, percebe que algo mudou entre eles.



NOVO“Nenhum a menos” de Zhang Yimou

Companheirismo, solidariedade e perseverança são a marca desse filme, que demonstra preocupação com as crianças de seu país. Uma história sem fronteiras políticas ou territoriais, pela universalidade do tema, ganhou diversos prêmios mundo afora.O professor Gao terá de ficar alguns dias fora da escola, para ajudar a mãe doente. Sem professor substituto, o prefeito do vilarejo escolhe Wei, uma menina de 13 anos, para assumir o posto. Gao avisa Wei: nenhum aluno deve deixar a escola durante sua ausência. Wei terá de aprender a lidar com os alunos e com essa nova situação imposta a ela. Zhang Huike, um menino de 10 anos, é inteligente mas muito indisciplinado. Ele está sempre desafiando a autoridade de Wei e testando sua paciência, quando ela tenta colocar ordem no local. Certa manhã, Zhang não aparece na escola. E Wei descobre que ele foi para cidade procurar emprego, para ajudar a família endividada. Com as palavras do professor Gao na cabeça e apenas uma vaga idéia de onde o menino possa estar, Wei parte para a cidade, disposta a encontrá-lo e trazê-lo de volta para casa.



NOVO “Outubro” de Sergei Eisenstein, Grigory Alexandrov

Terceiro longa-metragem de Eisenstein, que ele fez para comemorar os dez dias de Revolução Soviética, em 1917, durante os quais os bolchevistas derrubaram o governo Kerensky. Outra obra máxima de Eisenstein. Aqui ele usa, de forma impressionante, métodos experimentais e sofisticados de montagem, baseada no choque entre imagens para comunicar idéias abstratas, e o conceito das massas como herói. Filme obrigatório aos amantes da sétima arte, pleno de criatividade e forte apelo político social.


“Persona” de Ingmar Bergman

Persona é simplesmente um dos maiores filmes da história do cinema, e uma das obras centrais do mestre Ingmar Bergman. Uma atriz teatral de sucesso sofre uma crise emocional e emudece. Para se recuperar, parte para uma casa de campo, sob os cuidados de uma enfermeira, que a admira e tenta compreender a razão de seu silêncio. Isoladas, as duas mulheres desenvolvem uma relação de forte intensidade emocional. A impressionante seqüência inicial, as atuações viscerais de Bibi Andersson e Liv Ullman, a brilhante direção de Bergman fazem de Persona uma experiência cinematográfica fascinante e inesquecível.






“Por Quem os Sinos Dobram”de Sam Wood
Guerra Civil Espanhola, anos 30. O idealista Robert Jordan (Gary Cooper) se engaja no conflito para defender os princípios de liberdade e democracia. Numa missão de altíssimo risco, ele aguarda o melhor momento de explodir uma ponte de importância vital para as tropas inimigas. Neste cenário de idealismos e tensões quase insuportáveis, a mística Pilar, líder das forças da resistência civil, encoraja a bela e jovem Maria (Ingrid Bergman) a ajudar Robert em sua missão. Durante uma noite debaixo das estrelas, o medo da morte e a possibilidade do amor caminham lado a lado, em pleno horror da guerra.



“O Processo” de Orson Welles

O filme é adaptação do livro de Franz Kafka. O escritor é apontado entre os melhores autores do século XX. “O Processo” é um clássico, reconhecido como um dos melhores livros de todos os tempos. Esta verão cinematográfica tem a direção espetacular de Orson Welles. O argumento é, sem dúvida nenhuma, kafkiano: um homem, Joseph K. (Anthony Perkins), acorda em plena manhã e encontra a polícia em seu quarto. É informado de que será preso. Não lhe apresentam os motivos. O processo corre em segredo. A partir daí K. enfrenta caótica peregrinação. Apontam-lhe pessoas que poderiam influenciar e manipular o julgamento e garantir a absolvição, inclusive um advogado (Orson Welles) antigo, muito versado nos assuntos do tribunal. Ao procurar entender os mecanismos que movem seu processo, K. se torna paranóico e passa a acreditar numa enorme conspiração. “Roma, cidade aberta” de Roberto Rosselini

Entre 1943 e 44, Roma, sob ocupação nazista, é declarada "cidade aberta", para evitar bombardeios aéreos. Nas ruas, comunistas e católicos deixam suas diferenças de lado para combater os alemães e as tropas fascistas.
Filmado logo após a libertação da Itália, em locações reais e com atores amadores, o filme tornou-se o marco inicial do neo-realismo italiano, que mostrou ao mundo que era possível se fazer cinema mesmo sob as condições mais precárias. É considerado um dos maiores da história do cinema pela crítica mundial. Essa edição traz o filme em versão restaurada e sem cortes, além de muitos extras, com destaque para o documentário inédito sobre Roberto Rossellini (Roberto Rossellini, Frammenti e Battute/ITA/2001), de Carlo Lizzani, e para a filmografia ilustrada do cineasta, com mais de 2000 fotos.

NOVO “Seleção de Curtas Chaplin 1” de Charles Chaplin

1. Carlitos e Mabel nas corridas - 10 min

2. Tripla encrenca - 24 min

3. Carlitos o contra regras - 19 min

4. O musical do vagabundo - 12 min

5. Corridas de automovéis para garotos - 6 min

6. Amor secreto - 26 min




NOVO “Seleção de Curtas Chaplin 2” de Charles Chaplin

1. Roubo Frustrado - 25 min

2. Um dia cheio - 6 min

3. O rival - 12 min

4. laços de Liberdade - 11 min

5. O passatempo de Carlitos - 13 min

6. Uma noite fora - 25 min



“O Sentido da Vida” de Monty Python

O impagável, cínico, sarcástico e hilariante grupo inglês de humor Monty Python desempenha uma série de registros dos assuntos mais importantes da vida. Nascimento, religião, trabalho, casamento, morte, nada escapa da crítica mordaz e ferina do grupo. É uma emocionante mistura de sátiras surreais sobre o ciclo da vida.

NOVO “Seleção de Curtas Chaplin 3” de Charles Chaplin

1. Dias de Prazer - 20 min

2. O Bombeiro - 24 min

3. O vagabundo - 26 min

“Ser e Ter” de Nicolas Philibert

Mais de 1,8 milhão de pessoas foram assistir Ser e Ter na França em 2002. Inspirado no fenômeno francês das "escolas-de-uma-turma-só", o filme mostra a vida de uma pequena escola durante um ano letivo e aborda, de maneira serena e calorosa, a educação infantil no interior da França a partir de uma realidade bastante diferente da brasileira. A turma tem 12 crianças, com idades entre 04 e 10 anos, que compartilham a sala e aprendem juntas as mais variadas matérias. Tudo com um professor extremamente dedicado e paciente, que conduz as crianças à adolescência, respondendo às suas argumentações e ouvindo seus problemas.
“Sétimo Selo” de Ingmar Bergman

Suécia, Idade Média. Um cavaleiro, após as cruzadas, embora tenha lutado pela cristandade, tem dúvidas sobre a existência de Deus. A peste devasta o país, e, em meio ao ambiente de pessoas condenadas à fogueira, acusadas de bruxaria, ao invés de se encontrar com Deus, se depara com a Morte em carne e osso (?), que e o desafia para uma partida de xadrez onde tem profundos diálogos sobre o sentido da vida.
NOVO"Sergei Eiseistein" de Oleg Kovalov

Este filme foi dedicado ao centenário do maior cineasta que a ex-União Soviética já teve, e um dos mais importantes de todos os tempos. Baseado em suas memórias, que ele iniciou em 1929 logo depois de finalizar A Linha Geral (Staroie I Novoie). Imagens raras do arquivo pessoal de Eisenstein. Mostrando centenas dos seus filmes, e suas reflexões do mundo durante os trágicos anos da Revolução Russa e do terror stalinista.

“Sonhos” de Akira Kurosawa

Grande mestre do cinema japonês, Akira Kurosawa foi mais que um cineasta. Pintura, literatura, música, teatro. Poucos tinham seu talento para combinar as diferentes formas de expressão artística. “Sonhos”, mais do que histórias, é um desfile de imagens maravilhosas. Dividido em oito capítulos - oito sonhos diferentes que dialogam entre si - o filme traz a peculiaridade contemplativa do cinema do Japão, a música característica e os figurinos exóticos aos olhos do ocidente. Lidando com medos e vontades subconscientes, o filme traz desde um passeio por entre pinturas do holandês Vincent Van Gogh até o recorrente pesadelo nacional com a radiação nuclear. A beleza da natureza e o horror de sua destruição, bem como tradições milenares, são os elementos que arremessavam Akira Kurosawa a níveis cada vez mais altos de criatividade. Sonhos certamente encherá seus olhos. E não se surpreenda se também arrebatar sua mente e coração.

“Tempos Modernos” de Charles Chaplin

1936 - A história mostra Trump (Chaplin) confrontando-se com todas as invenções desumanas de uma fábrica, que o levam a loucura. A crítica não é só à mecanização, mas também a outras questões sociais da época.O filme foi um grande sucesso, mas, na época de seu lançamento, foi proibido na Itália e na Alemanha. Tempos Modernos é o último filme mudo de Chaplin, que, apesar de não ter diálogos, conta com música e efeitos sonoros sincronizados.
“A Terra treme ” de Luchino Visconti

Revoltado com a exploração dos comerciantes de peixes, o jovem ´Ntoni tenta convencer seus colegas pescadores a trabalhar por conta própria. Porém, ´Ntoni encontra muitos obstáculos no seu caminho. Primeiro filme de uma trilogia nunca concluída sobre os trabalhadores da Sicília, A Terra Treme marca o apogeu do neo-realismo italiano. Visconti não utilizou atores profissionais na produção, fazendo com que os pescadores e moradores da pequena Aci Trezza interpretassem a si mesmos.




“Trainspotting” de Danny Boyle
Uma jornada selvagem ao obscuro submundo das drogas de Edimburgo. Em foco, temos Mark Renton (Ewan McGregor) e sua tentativa de abandonar o vício da heroína e como isso afeta suas relações com sua família e seus amigos, o demente Sick Boy (Johnny Lee Miller), o sombrio Spud (Ewen Bremmer), o maluco Begbie (Robert Carlyle), a namorada Diane (Kelly MacDonald) de apenas 14 anos e o "atleta" Tommy (Kevin McKidd) que nunca tocou em drogas, mas tem uma enorme curiosidade em conhecer. Esse grupo de jovens escoceses mergulha no vício para fugir das banalidades da existência nos dias modernos. E logo começam a sentir as conseqüências de suas atitudes e a descobrir que não existem soluções fáceis para a solidão e a dor que a vida nos proporciona. Sem moralismo e falsas mensagens, o filme acompanha a rotina alucinante dos garotos e traça um retrato da geração desesperançada dos anos 90.

NOVO "Vermelho como o céu" de Cristiano Bortone

Saga de um garoto cego durante os anos 70. Ele luta contra tudo e todos para alcançar seus sonhos e sua liberdade. Mirco (Luca Capriotti) é um jovem toscano de dez anos apaixonado por cinema, que perde a visão após um acidente. Uma vez que a escola pública não o aceitou como uma criança normal, é enviado para um instituto de deficientes visuais em Gênova. Lá, descobre um velho gravador e passa a criar histórias sonoras. Baseado na história real de Mirco Mencacci, um renomado editor de som da indústria cinematográfica italiana.

“A Vida de Brian” de Monty Python

Em seu segundo filme, Monty Python mostra uma sátira anárquica sobre a visão de Hollywood em relação a todos os temas bíblicos e religião. O cenário é a Judéia, ano 33 D.C., uma época de pobreza e caos, cheia de messias e seguidores e com os romanos tentando promover algum tipo de ordem. No centro desta história está Brian Cohen (Graham Chapman), um relutante candidato a messias que se torna importante devido a uma série de situações absurdas e realmente hilárias que proporcionam amplas oportunidades para todo o grupo (John Cleese, Eric Idle, Terry Gilliam, Terry Jones, Michael Palin e Chapman) brilhar em múltiplos papéis à medida que eles imitam a todos e a tudo: ex-leprosos, Pôncio Pilatos, profetas malucos, centuriões romanos e atos de crucificação.


"Volver" de Pedro Almodóvar

Madri. Dias de hoje. Raimunda (Penélope Cruz) é uma jovem mãe, bastante trabalhadora e atraente, mas também frágil emocionalmente pois guarda um segredo terrível desde sua infância. Vive com um marido desempregado e uma filha em plena adolescência. As finanças familiares não vão muito bem, e assim Raimunda tem diversos empregos. Sua irmã Sole é um pouco mais velha. Tímida e receosa, ela ganha vida com um salão de beleza ilegal. Seu marido a abandonou e fugiu com uma cliente e desde então ela vive sozinha. Paula é tia delas e mora em uma aldeia em La Mancha, onde toda a família nasceu. Uma aldeia castigada pelos ventos leste, a causa direta do alto índice de insanidade registrado lá e responsável pelos diversos incêndios que devastam a área em todos os verões. As duas irmãs vivem situações inesperadas, intensas, melodramáticas, cômicas e emocionantes.
Volver é uma história de sobrevivência: complexa e simples, comovente e ousada.
Criar um Site Grátis   |   Create a Free Website Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net